Publicidade

segunda-feira, 23 de maio de 2016 De Olho | 07:54

Marília Gabriela: “Saída da Dilma comprometeu o protagonismo feminino”

Compartilhe: Twitter

A ideia de transformar o MinC em secretaria incorporada ao Ministério da Educação deixou os ânimos da classe artística exaltados. Após uma onda de protestos a favor da manutenção do Ministério da Cultura, Michel Temer deu um passo atrás e resolveu manter a pasta com um jovem diplomata no comando.

Antes da reviravolta, uma série de negativas da ala feminina para ocupação da aérea cultural deixou Temer sem escolha. Entre as sondadas, Marília Gabriela não titubeou diante da pressão do convite e disse “não”. Com a palavra, apresentadora do novo “TV Mulher”.

“Eu não aceitei porque, apesar da minha vida profissional ser totalmente ligada a cultura, eu estava sendo convidada simplesmente por seu uma figura midiática, emblemática. Eu seria apenas uma estampa, não seria nada além isso “, declara, em papo com a coluna.

JÁ SEGUE O BLOG NO INSTA E NO TWITTER? @_vem_gente

Marília fundamenta sua recusa afirmando que não é política nem foi preparada para ocupar um cargo desse porte. “Não sou uma gestora, não teria cabimento eu aceitar um convite desses, mas eu tenho consciência que eu não representava nada além de uma imagem para melhorar a imagem do governo junto às mulheres.”

Para ela, a falta representatividade de mulheres no poder é um reflexo do momento atual. “Eu acredito que, infelizmente, a saída da Dilma comprometeu a possibilidade de protagonismo feminino nesse próximo governo. Eu torço para que não.”

E ela destaca as minorias perante a crise política. Para exemplificar, ela faz referencia à votação do impeachment na Câmara. “Não havia mulheres. E não só isso, onde estão os negros? Então me parece claro que não é novo ter uma mulher lá. Mas principalmente nesse momento depois do que aconteceu com a Dilma.” Fica a reflexão para o nosso futuro.

Autor: Tags:

9 comentários | Comentar

  1. 59 Pat montano 03/06/2016 14:18

    Eu RENEGO esse “protagonismo dilmista” que so envergonhou nos mulheres e cara jornalista vamos parar de ter pensamentos mesquinhos como “onde estao os negros, as mulheres”. Este tipo de opiniao no atual panorama que se encontra o Brasil e desnecessario. Vamos torcer porque nosso governo e nosso congresso esteja repleto de pessoas competentes, honestas, inteligentes e comprometidas com o Brasil

  2. 58 regina 03/06/2016 11:13

    Quem é que precisa de uma protagonista que arrebenta um país e desemprega 12 milhões de pessoas? Só uma pessoa insana como Marília que pensa na própria vida e no seu umbigo de ouro. Jornalista? Uma OVA!!!

  3. 57 VOANIR 25/05/2016 3:38

    LIXOS, E AFILHADA DO KAPETA, TEM DE ESTAREM SEMPRE, JUNTO DOS, SEUS SEGUIMENTOS !!! PORTANTO, LIXOS TEM DE ESTAREM SEMPRE, NO LIXO !!!!!!!!!

  4. 56 sergio torres 23/05/2016 11:42

    se ela fosse mais eficiente como mulher e presidente nao estariamos na situacao atual, se tenho funcionarios abaixo de mim que fazem coisa errada, o culpado sou eu . ela quis fazer caridade e media com o dinheiro do povo. em vez de bolsa familia, arranja emprego para todos .

  5. 55 ANTONIO LUIZ 23/05/2016 11:00

    Nosso belo e magnifico Brasil onde as mulheres tem mais de 51% de eleitoras, demonstrou claramente que a mulher Brasileira ainda estão submetidas ao julgo do machismo dos anos 30. Só estão lamentando agora que depois do absurdo ato do machismo tiraram sua principal representante da Presidencia da Republica Machista? Me desculpe as mulheres Brasileirs, ainda tem tempo de rever o medo e o magnetismo do poder machista do homem politico Brasileiro e reverter este processo absurdo implantado a tipo golpe na democracia (???) Brasileira. Se a mulher quiser agora, para o Brasil sim.

  6. 54 Regina 23/05/2016 10:48

    Mais uma pra falar bobagem. Quer dizer que porque a Dilma é mulher ela deve ficar nos roubando, levando o Pais pro fundo do poço?
    Não aceitou o cargo porque não tem competencia para tanto.

    • Antonio Pereira Ribeiro 23/05/2016 19:29

      Cara por que não te calas. Tu não sabe de nada é um apedeuta.

  7. 53 ocimara 23/05/2016 10:07

    Que protagonismo cara jornalista, Dilma nunca foi uma representante à altura das mulheres brasileiras, que trabalham,estudam e são grandes profissionais em suas áreas, ao contrário péssima administradora, negociadora e a sua oratória chega a ser ridícula. Defende governos antidemocráticos.Como mulher tenho vergonha dela como nossa presidente.

    • Marcio Saiani 23/05/2016 11:17

      Parabéns pelo seu comentário e pelo bom senso, se essa mulher tivesse sido uma boa presidente com toda certeza não teria sido impedida de continuar o seu mandado.

  8. 52 clovis 23/05/2016 9:39

    Marília Gabriela não tem nada que falar bobagem, não aceitou porque e contra o governo interino e a favor dos antigos governantes e os mesmos que afundou o pais se precisamos mudar a polica temos que pensar sobre esses entrevistadores partidários que sempre pendem para aqueles que os apoiam precisamos olhar para a situação do pais os desempregados os endividados por conta dessa crise e desemprego e nao olhar p esses políticos corruptos sem falar nesses artistas riquíssimos que nem mora no pais que recebem verbas do antigo governo para nao fazerem nada pela cultura. so apoia o pt quem depende desse partido de vigaristas ….

  9. 51 Itamaraty Em Chamas 23/05/2016 9:09

    Meio desinformada essa Marília… Sei que a votação do impeachement foi uma piada, por todas as baboseiras que os deputados falaram, mas haviam mulheres sim, contra e à favor da admissibilidade da acusação para o processo de impeachement, e haviam também afro-descendentes. Aliás, mesmo que uma minoria se colocasse totalmente contra o processo, isso invalidaria o mesmo, ou representaria um ataque à uma minoria? Democracia não é um sistema que exige o atendimento inconteste às demandas de minorias. Só uma ditadura de uma minoria é capaz de fazer isso, e ainda assim, sem atender à outras minorias.
    Quanto ao “protagonismo” das mulheres com a Dilma e após a presidente, protagonismo é algo que exige um papel principal, coisa que não tinhamos com as “ministras” da Dilma, que ocupavam cargos tão mequetrefes que seus ministérios foram abolidos sem dó nem piedade na primeira redução mais séria. A excessão seria a Katia Abreu. A própria Dilma, como “exemplo” de protagonismo, lembrava mais macunaíma doque alguma heroína de ficção ou romance. Com tantas mulheres inteligentes e capazes, foram colocar na presidência uma que não sabe nem construir um parágrafo que faça sentido… E que agora, depois de suspensa, resolveu ficar dando lições de administração pública e política pelo twitter, sendo que quando era o governo, só fez burradas… Quando é que vamos ter uma Margatet Tatcher, uma Angela Merkel por aqui? Uma mulher realmente protagonista na política que seja digna dessa posição?

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.